Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.6/5 (3635 votos)


ONLINE
3




Partilhe este Site...

Flag Counter

Calendário lunar

 


1º GRAU - AULA Nº 25
1º GRAU - AULA Nº 25

As zonas ou os Montes Planetários principais ou essenciais são 7. Ei-los:

  1. A) Toda zona que fica debaixo do dedo POLEGAR é o monte de VÉNUS...

 

  1. B) A zona que fica na base do dedo INDICADOR é o monte de JÚPITER...

 

  1. C) A zona que fica na base do dedo MÉDIO é o monte de SATURNO...

 

  1. D) A zona que fica na base do dedo ANULAR é o monte de Apolo ou SOLAR...

 

  1. E) A zona que fica na base do dedo MÍNIMO é o monte de MERCÚRIO...

 

  1. F) A zona que fica situada no lado interno da mão e perto da percussão é o monte de MARTE (onde está a fig. 17 no cliché da mão)...

 

  1. G) A zona que fica situada no lado inferior interno da mão e perto da percussão é o monte da LUA ou lunar (onde estão as figs. 18 e 19 do cliché).

 

1ª OBS... - Que não se embarace o instrutor ou o interessado com essas descrições, pois terá, a seguir, o MAPA A, por onde começará confrontando esses montes, dedos etc., com planetas, signos, dias do nascimento e a LINHA ou 0 ORIXÁ CORRESPONDENTE. Depois, terá a figura da MÃO com 25 variações de SÍMBOLOS distribuídos pelos montes ou zonas e 5 linhas, e logo adiante, a descrição ou o significado de todos esses símbolos pelos números que correspondem a cada um...

 https://images.comunidades.net/umb/umbandadobrasil/mapa_A.jpg

2.ª OBS.: - Agora que o interessado ou instrutor já confrontou a descrição com o Mapa A, tendo verificado pelo seu nascimento, o seu planeta regente, a sua Linha ou o seu Orixá e viu também qual o seu monte próprio, deverá ter logo de princípio, na devida conta, que: - surja onde surgir, quer seja numa zona propriamente dita ou monte, quer seja em outro lugar da mão, 0 TRIÂNGULO é o símbolo básico que REVELA, incontestavelmente, PROTEÇÃO espiritual, força psíquica elevada, qualquer poder supranormal, qualquer FACULDADE MEDIÚNICA etc...

 

3.ª OBS.: - Então, se o interessado ou instrutor já está sabendo que 7 são os montes planetários e já se está familiarizando com eles no desenho da mão, deve ficar sabendo ou entendendo bem o seguinte: se o seu planeta regente é, por exemplo, Júpiter, o monte ou a sua zona própria está na base do dedo indicador e se nele existe algum dos 25 símbolos que vão ser descritos, é porque a pessoa está equilibrada ou reajustada com sua faixa espiritual direta, com a corrente eletromagnética de seu planeta etc. - o que é uma condição rara. Porém, se no monte próprio da dita pessoa nada existe e existe um símbolo em outra zona ou monte de outro planeta que não é o seu – o regente, isso indica que a pessoa ainda não está reajustada com sua faixa espiritual própria, porém recebeu forças particulares, adequadas às suas atuais condições, pelo seu planeta ASCENDENTE que vai dominar e indicar certas condições mediúnicas, certos poderes supranormais etc. e mesmo a Linha ou a Vibração dos Orixás, através das Falanges de caboclos, pretos-velhos, crianças etc., que está diretamente influenciando e protegendo a criatura, dentro da Corrente Astral de Umbanda...

 

4.ª OBS.: - Reafirmando: - Assim, se no seu monte próprio - de seu planeta, não existe nenhum símbolo ou sinal, porém você os tem em outra zona ou monte, isso revela a força de seu ascendente na ocasião de seu nascimento. Indica, portanto, a influência particular que você recebeu, como reforço, a qual foi registrada na zona que lhe é própria, pela Linha de Força ou pelo tatwa, que tudo domina.

 

Eis a figura da mão com as suas 25 variações de símbolos...  que, para traduzirem, realmente, os valores que vão ser discriminados ou relacionados, terão que ser símbolos-puros, isto é, têm que estar isolados ou independentes de outras linhas ou que não sejam formados pelas bifurcações, cortes e atravessamentos das diversas linhas que existem na palma de uma mão. Os triângulos que se formarem dentro dessas últimas condições têm a metade do valor do símbolo-puro, isto é, indicam acentuadas predisposições, boas influenciações etc., que se podem concretizar, de acordo com a linha de conduta da pessoa...

 

As 5 Linhas principais que são manifestadas pela energia condensada dos MONTES: Linha A — da Vida; Linha B — da Cabeça; Linha C — do Coração; Linha D do sistema digestivo ou hepática; Linha E do destino ou de Saturno. Essas linhas estão nesse cliché para que se tenha uma ideia bem clara da posição dos montes nas palmas das mãos...

 

Figura nº 1 - Toda essa linha ponteada que começa na base da rascete sobe até a linha do coração – C - faz uma curva e desce até a base da dita rascete, mostrando a forma de um sapato, situa o Campo dito como de Marte ou das lutas. Veja-se que está dividido por duas linhas horizontais ponteadas que indicam a parte superior, a parte média e a parte inferior, desse citado campo de Marte ou das LUTAS - que começa e termina na rascete, que são essas três linhas que estão sobre o punho propriamente dito...

https://images.comunidades.net/umb/umbandadobrasil/palma_da_m_o.jpg

Figura nº 2 — Este é o símbolo do setenário ou o verdadeiro Selo dos Magos. É o mais completo selo-mediúnico que pode surgir na mão de uma criatura, porque além de revelar que seu possuidor é um Iniciado, filiado à Corrente dos Magos, é também um médium missionário. Esse símbolo é o mais raro. Ele está composto do ternário dentro do quaternário. O triângulo é o símbolo do Universo como manifestação dos 3 Mundos: o mental, o astral e material... representa a Trindade, a Tríade Divina, dominando os quatro elementos da natureza, simbolizados no quadrado ou quaternário.

 

Esse símbolo do setenário ou esse selo dos Magos, que surge sempre no médium de carma missionário, e sobre o monte de Vênus, tem sempre o triângulo no ângulo esquerdo inferior desse quadrilátero, conforme está situado no clichê e na palma da mão. Este símbolo ou SELO confere a seu possuidor ampla clarividência, intuição apurada e sensibilidade medianímica ou psicoastral extraordinária além de outras faculdades mediúnicas... - (em nossa obra Lições de Umbanda (e Quimbanda) — na palavra de um prêto-velho, nas págs. 106 a 108, se encontra uma descrição completa sobre esse importantíssimo sinal)...

 

Figuras n. os 3, 4, 5, 6 - São triângulos que tanto podem ser isósceles, escalenos etc., porém, o mais comum é surgirem na forma de pirâmide ou equilateral e mais acentuadamente sobre o monte de Vênus. Qualquer um desses triângulos, surgindo isolado ou independente no dito monte, significa que o seu possuidor tem, positivamente, uma forte proteção espiritual, astral, da Corrente de Umbanda, através dos caboclos da Faixa Vibratória de Oxossi, dado já a seu estado evolutivo que é bom e tende a melhorar, impulsionado por alguma faculdade mediúnica. Essa faculdade mediúnica que tanto pode acontecer na mecânica de incorporação, dentro da fase semi-inconsciente, como pode ir a de irradiação intuitiva, com acentuada sensibilidade psico-astral. Qualquer triângulo nesse monte indica mais, que apesar de o médium estar dentro da mediunidade de carma probatório tende a se libertar para a de carma evolutivo, já nessa encarnação... Os aspectos negativos de seu caráter cármico que ele tem de combater são: tendência ao egoísmo, ao sensualismo, à falta de pureza e de amor-próprio. Os aspectos positivos de seu caráter cármico, os quais a presença desse triângulo está exaltando, são: o equilíbrio moral-espiritual, astral e físico, dentro de um pronunciado senso de amor, de caridade e de compreensão. O triângulo nesse monte de Vênus está exaltando todo o seu poder criador para qualquer atividade prática ou espiritual etc.

 

Figura nº 7 — Esse triângulo isósceles que sai do monte de Vênus e atravessa a linha da vida (A) com um vértice apontando o campo de Marte (que é o campo das lutas) é, também, uma das mais importantes revelações da ficha cármica do indivíduo. O triângulo, assim situado, revela que: - o seu possuidor, por força de seu carma, sofreu pesado reajustamento, tendo sua vida transcorrido - até certa altura - em dificuldades materiais, com impactos morais, tudo acompanhado de doenças, dado a seu grau de entendimento, de conformação, tudo sofreu, passou com muita resignação, procurando sempre o caminho da luz. Em face de fortes circunstâncias de ordem espiritual, em que arcou com as responsabilidades, em face dos assentamentos positivos de sua ficha cármica, desceu sobre ele uma poderosa proteção espiritual da Corrente Astral de Umbanda, através de três Falanges de caboclos - de Oxossi, de Xangô e de Ogum principalmente, pois, nele, tudo situa o campo de Marte ou das lutas, demandas etc., pelo vértice que está definindo a direção cármica de sua vida. Esse triângulo, assim, nessa altura, define mais que a pessoa já não tem mais ambições materiais, tudo nela passa a girar em torno das questões morais e espirituais elevadas e assenta a mediunidade já na condição de carma evolutivo e na incorporação semi-inconsciente, se a pessoa for jovem ainda e se já for idosa (passando dos cinquenta anos e ainda de acordo com o estado de saúde etc., define a faculdade mediúnica de irradiação intuitiva, a vidência, e o dom da palavra. Esse símbolo exalta em seu possuidor os aspectos positivos de seu caráter cármico, que são a audácia, a energia, o espírito empreendedor e o domínio próprio. Os aspectos negativos de seu caráter cármico que a pessoa tem de neutralizar (pois todo indivíduo dentro de uma injunção, de uma certa circunstância, pode-se desequilibrar) são: - a falta de serenidade, a falta de domínio, os impulsos violentos e as bruscas antipatias que podem impelir a julgamentos apressados...

 

Figura nº 8 - Essa Estrela, sobre qualquer parte desse monte de vênus, sendo bem acentuada, isolada, isto é, composta de três linhas que se cruzam num ponto, significa: — junção de três forças ou poderes, de cuja combinação ou cruzamento surgirá uma poderosa proteção astral espiritual etc. Esse símbolo confere a seu possuidor, mesmo que esteja situado em qualquer zona ou monte da palma da mão, essas condições citadas e mais uma faculdade mediúnica qualquer — comumente a clarividência ou a vidência (notem a variação do conceito, apenas na estrela que está sobre o monte do Sol ou de Apolo). Todavia é necessário que o seu possuidor leve em alta consideração, ou melhor, que se previna quanto ao seguinte:  — esse símbolo, sendo muito forte, exalta, quer as qualidades boas, quer as qualidades más que porventura existirem numa pessoa. Portanto, é necessário que o possuidor desse símbolo ande na linha do equilíbrio, para poder receber os benefícios dessas três forças... Essa estrela tem sido identificada mais em pessoas dentro de um carma probatório...

 

Figuras nº 9 e 25 - Este símbolo é o Pentagrama, isto é, uma estrela de cinco pontas, confundida vulgarmente como "signo de Salomão, cinco salomáo" etc. Depois do selo dos magos e do hexagrama místico de Salomão, é, também, um dos mais difíceis de ser encontrado numa criatura. Este é um símbolo assaz forte, pois representa a influência de cinco forças ou correntes vibratórias astrais, elementais. Esse Pentagrama na zona de Vénus confere ampla visão astral, pela sensibilidade mediúnica apurada, bem como nos outros montes ou zonas, especialmente na "chamada esfera de Uranos" – veja figura 25, que, em realidade, está na parte inferior do campo de Marte pois aí, ele confere, a mais, uma extraordinária clarividência ou o sentido premonitório. É um símbolo também considerado perigoso, pois geralmente as pessoas que o têm, mormente se estiver situado sobre a zona ou monte de Saturno, são inclinadas à magia negra. Precisam controlar esses impulsos do pretérito e estar em constante autopoliciamento. O Pentagrama indica que o seu possuidor é filiado, no astral, a um Grupamento Iniciático qualquer... Todavia é imprescindível, a seu possuidor, estar em equilíbrio moral-espiritual etc., pois se "estiver envolvido em suas paixões ou vivendo a vida dos sentidos", esse pentagrama não se manifestará como uma força atuante... Esse símbolo tem sido identificado mais em pessoas de carma evolutivo.

 

Figuras nº 19 e 24 — Este símbolo é o famoso Hexagrama Místico de Salomão que, como se nota, é uma dupla manifestação do triângulo, ou seja, é a conjunção de seis forças ou vibrações... É raríssimo surgir nas criaturas. Assim como o selo dos magos - que é uma manifestação excepcional da Força Setenária e o mais elevado símbolo conferido a uma criatura pelo Astral Superior, o Hexagrama Místico de Salomão indica, positivamente, que o seu possuidor é também um iniciado, filiado também à corrente branca dos magos. Convém explicarmos algo mais sobre esse símbolo: o Hexagrama resulta da interpenetração de dois triângulos opostos, até que os centros geométricos dos dois cheguem a coincidir. Esses dois triângulos assim descritos significam que o seu possuidor já superou quase todos os seus aspectos negativos e já se equilibrou com os seus aspectos positivos, ou seja, com sua individualidade consciente... Isto porque, sendo o triângulo o símbolo do Universo Ternário, significando ou revelando o equilíbrio, o perfeito, a elevação pelo intelecto etc., jamais poderia estar na ficha cármica de uma criatura, sem que ela merecesse, através de uma reconhecida maturação espiritual... Portanto, o Hexagrama Místico de Salomão, quer esteja na zona ou monte de Vênus, quer esteja em outro monte qualquer, significa sempre tudo isso e revela ainda poderes supranormais extraordinários que se podem manifestar voluntariamente, por via de várias modalidades mediúnicas etc. Esse símbolo só surge nas pessoas cuja mediunidade está afeta ao carma evolutivo...

 

Figura nº 12 - Este símbolo é uma variação do selo dos magos e é também um símbolo setenário. Note-se que o triângulo, nele, está situado no ângulo direto superior do quadrilátero. Esse símbolo indica que o seu possuidor é também um filiado da corrente branca dos magos do astral e tem a sua mediunidade dentro de um carma evolutivo. Esse conceito se aplica nesse símbolo, em qualquer uma das zonas ou dos montes planetários onde possa surgir. Faculta diversas modalidades mediúnicas, de acordo com a natureza da pessoa e particularmente a mediunidade de transporte e a vidência ou a clarividência. Este símbolo tem surgido mais onde está, isto é, sobre o monte de Júpiter e traz muita força espiritual, muita proteção e tende a elevar o seu possuidor em qualquer atividade prática a que ele se dedicar...

 

Obs.: - Nesse símbolo - variação do setenário ou do verdadeiro selo-mediúnico completo ou conjugado, a variação do triângulo pode ocorrer em qualquer um dos três ângulos do quadrilátero, isto é, nos ângulos superior da esquerda, superior da direita e inferior da direita, menos – repetimos - no ângulo inferior da esquerda, pois esse é próprio ao símbolo nº 2 descrito e que só surge sobre o monte de Vênus...

 

Figuras nº 11, 15 e 16 — O triângulo, seja isóscele, escaleno etc., em qualquer um desses montes de Júpiter, do Sol e de Mercúrio, revela que o seu possuidor tem, positivamente, uma forte assistência espiritual, principalmente da corrente astral de Umbanda, através das falanges de caboclos. Se o triângulo está sobre o monte de Júpiter, essa assistência vem pela faixa vibratória da Linha de Xangô; se está sobre o monte do Sol ou de Apolo, essa proteção espiritual é acentuadamente da vibração ou da Linha de Oxalá; se está sobre o monte de Mercúrio, essa proteção espiritual vem pela faixa espiritual da Linha de Yori, isto é, a pessoa tem a singular proteção dos espíritos que se apresentam na Umbanda, com a "roupagem fluídica" de criança. O triângulo nesses montes revela sempre que o seu possuidor tem a mediunidade dentro de um carma probatório, está sofrendo, passando ou já passou por uma série de reajustes cármicos etc. Essa mediunidade pode-se manifestar na mecânica de incorporação, na fase semi-inconsciente ou, então, costuma variar para a de irradiação intuitiva. Os possuidores deste símbolo (em qualquer um desses montes) tem que vigiar bem seus próprios aspectos negativos, neutralizá-los tanto quanto possível, para poder haurir ou receber dessas correntes espirituais os benefícios que este símbolo faculta ou traz, pois nenhum símbolo surge ou é impresso na palma da mão de uma pessoa sem que tenha o beneplácito de cima, do astral, isto é, do Tribunal Planetário ou cármico...

 

Figura nº 13 - Um triângulo, nessa zona, isto é, sobre o monte de Saturno é algo de certo modo mais sério. Revela, de princípio, que seu possuidor tem a mediunidade dentro de um carma probatório e na mecânica de incorporação, que tanto pode acontecer na fase semi-inconsciente como na inconsciente, esta pelo menos durante os sete primeiros anos de prática mediúnica bem equilibrada. Todavia, pode também acontecer que de acordo com a conduta do médium ele fique só com a mediunidade de irradiação intuitiva. Esse símbolo, nessa zona, indica mais que a pessoa tem acentuada tendência para a magia negra e tem proteções ocultas que a amparam. E necessário que se autopolicie nesse aspecto de seu caráter cármico. Se a pessoa estiver com uma boa orientação moral-espiritual, terá a fortíssima proteção da Linha de Yorimá, isto é, dos "pretos-velhos", que será altamente positiva em todas as fases de sua vida. Os aspectos negativos da pessoa, cujo ascendente foi Saturno e cuja influência foi registrada pela linha de força na expressão do dito triângulo, são: a indiferença, a teimosia, o arraigamento ao dinheiro, acentuada intolerância, tristeza e pessimismo. Deve zelar, alimentar, os aspectos positivos desse ascendente, que são: a meditação, a reflexão e a perseverança. Saturno dá o poder conservador de um modo geral, inclusive a longevidade.

 

Figura nº 14 - Este símbolo é classificado com o dos "triângulos opostos". Para que seja considerado autêntico, tem que estar isolado ou independente de outras linhas ou ramais das mãos.

 

Revela, em seu possuidor, equilíbrio e acentuada concordância de forças anímicas, potenciais, em atração ou relação com poderes materiais, financeiros, políticos, literários etc.

 

Quando não o seja, porque seu possuidor não alcançou essas condições, porém elas existem latentes, prestes a eclodir, atraindo ou movimentando as condições simpáticas para tal fim.

 

É, não resta dúvida, um símbolo forte e só não revelará essas condições positivas se seu possuidor não vier contribuindo para isso - dentro de circunstâncias negativas, degenerações morais etc. Nesse caso o indivíduo sofrerá violentos choques das forças em oposição, mormente se essa fig. 14 estiver no "campo-de-marte". Viverá na ruína moral e material. Esse símbolo revela mais proteção com as forças ou Falanges de "Caboclos", especialmente com os da Vibração de Xangô.

 

Traz mediunidade intuitiva, e clarividência poderá surgir. O carma tanto pode ser probatório, como evolutivo, dependendo de outros fatores.

 

Figuras nº 17, 21, 22 e 23 — O triângulo, quer no monte de Marte – nº 17; quer no campo superior – nº 21; quer no campo médio – nº 22; quer no campo inferior – nº 23, tudo de Marte, é um símbolo ou um sinal altamente confortador, maravilhoso, quando o seu possuidor souber (como vai ficar sabendo agora) que ele traz a salvação, um socorro enérgico, a proteção vigorosa dos caboclos da Vibração de Ogum. Esse triângulo, nesse monte ou no campo de Marte - que é o das lutas materiais e astrais — indica positivamente que o seu possuidor tem carma bem pesado - um carma probatório e sua mediunidade assim também o é. Essa faculdade mediúnica vem sempre na fase semi-inconsciente, porém o médium é muito assistido pela de irradiação intuitiva. Esse triângulo, nessas zonas citadas, assegura lutas com vitórias, às vezes debaixo de grandes sofrimentos e sacrifícios etc. O símbolo nas zonas de Marte demonstra que a pessoa recebeu uma assistência espiritual muito forte, através de um protetor da faixa ou da vibração das lutas e das demandas e por isso vem facultando a seu possuidor (do triângulo) muita energia, audácia, espírito empreendedor e domínio próprio. Deve combater os seus aspectos negativos, particulares, que nesse caso foi de Marte - como seu ascendente, que trouxe, por reflexos, de sua ficha cármica. Ei-los:

 

excesso de impulsividade, violência, provocação e prepotência frente aos fracos etc.

 

Figura nº 18 — O triângulo sobre o monte lunar é mais difícil de surgir do que nos outros montes. Esse símbolo, nessa situação, revela ou confere qualidades excepcionais a seu possuidor. Dá-lhe um misticismo equilibrado, uma grande interpenetração espiritual e de duas a três faculdades mediúnicas. Dá-lhe a irradiação intuitiva, bastante clarividência e muitas vezes a mediunidade, auditiva. As correntes de força sobre o possuidor do triângulo no monte lunar vêm pelos elementais da água - ditos como as ondinas - e com as falanges dos caboclos do mar ou das águas, pela vibração da Linha de Yemanjá... O médium que estiver banhado pela vibração lunar, dado a que, sobre o monte correspondente foi que a linha de força imprimiu o selo triangulado, tem que pautar sua vida dentro de regras bem positivas. Tão grande é a influência astral sobre ele, que sua sensibilidade psicomediúnica estará sempre sujeita a impactos de ordem diversa. Os seus aspectos cármicos negativos poderão aflorar pelo excesso de fanatismo e superstição, pelos caprichos, manias etc. Porém, os aspectos positivos de seu caráter cármico atuarão constantemente em si, pela imaginação idealista, pura, com os pensamentos de renovação que constantemente afluirão, limpando a sua mente de outras injunções etc. O seu carma é Evolutivo.

 

Figura nº 19 — Essa estrela sobre o monte da LUA também é um símbolo raro. Quando surge e está de pé - conforme no desenho 19 - confere todos os predicados do triângulo 18 e indica mais que a pessoa está no caminho seguro da espiritualidade. Indica ainda a posse ou a futura posse de um sonho, um desejo, um acontecimento bom, desejado, esperado etc., quer seja na forma material, quer na sentimental, quer na espiritual.

 

Figura nº 20 - A manifestação dessas duplas-linhas trianguladas - formando um triângulo dúplice, é um sinal tanto mais importante, quando seja bem sulcado, bem nítido, bem formado. Nessas condições, revela, indica, dado as circunstâncias pesadas da vida da pessoa que o tenha dado a uma série de provações que enfrentou com serenidade, paciência etc., dado a sua conduta moral-espiritual, que recebeu o seu grau de Iniciação no Astral e uma fortíssima proteção espiritual da Vibração de Yorimá - dos "pretos-velhos", pela correlação energética da Vibração eletromagnética de Saturno, que se manifesta, também, diretamente sobre o chamado de campo médio de marte. Esse símbolo, assim constituído, revela que a pessoa já alcançou o necessário equilíbrio em suas ações, em sua vida material e em sua vida espiritual (salvo qualquer desequilíbrio súbito por força de um livre arbítrio, por força de injunções cármicas precipitadas etc.). O poder desse símbolo é grande, pois está plantado sobre o campo médio de Marte ou das lutas, como um sinal de vitórias alcançadas. O seu possuidor deve zelar por todos os aspectos positivos de seu caráter cármico e combater as más influências do dito caráter cármico, que poderão assediá-lo constantemente, dado a que, esse triângulo dúplice indica que o seu ascendente verdadeiro foi o seu próprio Regente, isto é, Saturno no signo e Saturno na hora planetária e foi no campo médio de Marte que a linha de força ou o seu tatwa individual registrou diretamente toda essa condição. O aspecto negativo do caráter cármico de um saturniano com sua dupla influência vem pelo arraigamento às coisas materiais, principalmente ao dinheiro. A pessoa pode pecar pelo excesso de conservadorismo, podendo transformar-se até em egoísmo. Está sujeita ao pessimismo, à tristeza, à intolerância etc. Os aspectos positivos de seu caráter cármico são: a meditação, a reflexão, a constância, a perseverança, uma vontade férrea, o poder conservador - a vida longa, a boa saúde e a ausência de sensualismo... Está sujeita a afecções renais e à atrofia neuromusculares, a paralisias etc. O seu carma está na linha evolutiva. A sua mediunidade é dupla: dá para a mecânica de incorporação na fase semi-inconsciente acompanhada de forte irradiação intuitiva e é, ainda, um médium sensitivo de boa ordem.

 

Figura nº 26 - Essa estrela sobre o monte Solar e da forma que está, de , é um símbolo forte, poderoso e iluminado. Significa esplendor. Esse esplendor poderá ser, surgir ou vir de várias formas. Revela mediunidade dentro de um carma evolutivo e de irradiação intuitiva bem elevada, com bastante clarividência etc. A assistência espiritual sobre o possuidor dessa estrela no monte solar vem pela vibração dos caboclos da Linha dita como de Oxalá... Os aspectos positivos de seu caráter cármico são: a espiritualidade, o poder realizador, a energia indomável etc. Os seus aspectos negativos podem atuar sob a forma da vaidade excessiva, do exibicionismo, da extravagância etc...

 

OBS... – Final - Essas variações do símbolo ou de sinais, que podem existir ou surgir e existem ou surgem nas palmas das mãos das pessoas, são, incontestavelmente, reveladores, indicadores de dons, faculdades, poderes supranormais, condições cármicas, fisiológicas etc... Todavia, uma pessoa pode ser médium, iniciado até e não constar em suas mãos nenhum desses sinais ou símbolos reveladores.

 

Quem explicou bem essa questão foi "preto-velho" em nossa obra Lições de Umbanda e Quimbanda etc., nas páginas 104 a 106 - quando Cícero, o filho-de-fé, lhe fez a seguinte pergunta: "Muito bem pai-g... Nesse aspecto, posso considerar a presença desse sinal como uma regra sem exceção?"

 

Então, "prêto-velho" respondeu dizendo: - "Não, meu filho. Não há regra sem exceção. Tem exceção e variação. Há razões superiores relacionadas com esses casos que esse "preto-velho" não alcança"...

 

E continuou dizendo mais que, "esse selo", isto é, o sinal da mediunidade, pode não surgir como um sinal físico na mão humana do médium, todavia na mão de seu corpo astral, esse selo pode constar etc. "Isso já é trabalho de identificação para um vidente, clarividente ou mesmo para uma entidade incorporada.

               

E "prêto-velho" – continuando - ainda adicionou mais essa explicação, bastante satisfatória e verdadeira:

 

"Sim, porque a maioria (desses médiuns, é claro) pode ter influências medianímicas, manifestarem-se até, levando algum tempo dentro de condições promissoras, mas acabam sempre desvirtuando, sofrendo injunções dos ambientes, da vaidade etc., então não se fazem definir sobre eles as indispensáveis ordens e direitos de trabalho de uma entidade protetora, mesmo que ele seja de carma probatório, ou melhor, de mediunidade probatória, esse selo simples surge, logo que esse médium começa a se compenetrar de sua responsabilidade em face dessa condição, isto é, quando começa a pesar conscientemente as suas condições de reajuste"...

 

Cremos, portanto, que toda essa questão relacionada dentro ADENDO ESPECIAL ficou bastante esclarecida e esperamos que todos ou os mais compenetrados tirem todo o proveito dessas lições...

 

E finalmente, uma palavrinha ainda queremos registrar aqui, para os que se dizem ou são realmente professores das chamadas de ciências ocultas.

 

Naturalmente que apresentamos aqui uma descrição, um estudo, da maneira o mais simples possível, desta maravilhosa ciência denominada de Quirologia, Astro Quiromancia, Quirosofia etc., visto essa obra ter sido coordenada mais no intuito de sua assimilação popular, ou seja, para o entendimento geral da massa umbandista...

 

Porém, queremos lembrar aos citados professores do ocultismo, ditos como magistas, esoteristas, astrólogos etc., que essa variação da forma triangular, que surge na palma das mãos das pessoas escolhidas ou merecedoras, tanto mais é importante, profunda, se dentro da 3ª chave de interpretação cármica, esses triângulos forem analisados sob certos aspectos de suas formas equilateral, isósceles, escaleno, ainda em confronto ou em relação com as formas dos ângulos, isto é, como triângulos-retângulos acutângulos e obtusângulos etc...

 

Pois bem, dentro dessa 3ª chave (demos a interpretação oculta da 1ª chave), essas variações ou espécies de triângulos, de conformidade com suas posições e com as zonas em que forem impressos ou surgirem, revelam questões cármicas transcendentais de tal sorte, que somente quem conhece mesmo o assunto pode avaliar, analisar e interpretar corretamente... E, naturalmente, não podemos tratar desses ângulos, nessa singela obra e mesmo porque, não temos ordem para expô-los a público... Apenas demos esse lembrete para os que "têm olhos de ver e ouvidos de ouvir"...

 

Mas, para que saibam ser, realmente isso, uma ciência de iniciados de fato, vejamos o que já dizia o célebre filósofo Platão, iniciado também sobre as questões mágicas das formas dos triângulos, que ele considerava formas divinas etc. Platão, ao tratar da constituição dos 4 elementos da natureza, assim ensinava: - "Estes quatro corpos (fogo, terra, água, ar) nascem dos triângulos-retângulos, isósceles e escalenos. São estes triângulos a origem das moléculas de todos os corpos. Quanto ao princípio desses triângulos, só Deus, que está acima de nós, e entre os homens aqueles que são os amigos de Deus, o conhecem.

 

A molécula do género terra tem a forma de cubo, porque dos quatro corpos é a mais móvel (cada face de um cubo é formada de dois triângulos-retângulos isósceles).

 

A molécula do género fogo é a mais móvel, a mais leve dos quatro elementos, teria a forma do menor e do mais agudo de todos os sólidos, que se pode constituir com um triângulo, por consequência a de pirâmide triangular.

 

A molécula do género água e a do género ar teriam a forma, a primeira de octaedro, a segunda do icosaedro (esses dois, sólidos geométricos regulares) gozando de propriedades intermediárias" (citação do trabalho de M. Rochas - "La Physique et Ia mecanique chez les grecs" - Revue Scientifique - 1882 — Paris).

 

E é só... encerremos aqui esse assunto.

 

Bibliografia: MISTÉRIOS E PRÁTICAS DA LEI DE UMBANDA

2º EDIÇÃO LIVRARIA FREITAS BASTOS S.A.

W. W. da Matta e Silva