Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.6/5 (3719 votos)


ONLINE
3




Partilhe este Site...

Flag Counter

Calendário lunar

 


1º GRAU - AULA Nº 7
1º GRAU - AULA Nº 7

Devemos lembrar a todos os nossos irmãos umbandistas, estudiosos etc., que o nome ou os NOMES pelos quais as Escolas, os sistemas filosóficos, as religiões, ou os cabalistas, os magistas, os esoteristas, os teosofistas, os gnósticos etc., identificam as Potências Divinas, não altera a razão de ser dessas Potências e tampouco a sua essência... Portanto, é Brahma, é Olorum, é Zamby, é Deus, é Jesus, é Buda, é Mitra, é Osíris etc. No fundo de tudo estão sempre e inalteravelmente o Pai-Eterno e o Cristo Planetário...

 

Antes, porém, de entrarmos na definição das 7 Linhas da Lei de Umbanda, faz-se necessário elucidarmos também um conceito erróneo que é comum e aferrado na mentalidade de muitos irmãos umbandistas, desses que ainda têm preguiça de analisar, comparar etc.

 

Esse conceito é de que a "Umbanda é um dos aspectos do chamado Espiritismo de Kardec ou do kardecismo"...

 

Até irmãos estudiosos pensam e costumam afirmar isso, como ponto de doutrina. Estes estudiosos, parece, não analisaram a "coisa" como ela é e se apresenta. Batem-se no ponto de que, no umbandismo, existe a manifestação dos espíritos e no espiritismo também. Vamos elucidar esta questão de vez:

 

Todos sabem que quem particularizou o termo "espiritismo" foi Allan Kardec, para traduzir, por êle, certos ensinamentos dos espíritos.

 

A palavra espírito perde-se pela antiguidade, dentro dos livros religiosos de vários povos, inclusive nos Vedas, dos Brahmas, no Livro dos Mortos dos Egípcios, nas Obras de Fo-HY, um dos mais antigos sábios da China, na Bíblia de Moisés, na Cabala dos Judeus, nos Evangelhos ditos do Cristo, e, para não citarmos mais, na antiquíssima bíblia Maia-Quíchua - o Popol-Vuh etc.

 

Que se deve entender, realmente, por espiritismo? Segundo Kardec, é a Doutrina dos Espíritos. Como veem, revelar a doutrina ou as coisas do espírito não foi exclusivo privilégio de uns nem de outros...

 

"Diremos, pois, que a doutrina espírita ou o Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou Seres do mundo invisível etc. " (Livro dos Espíritos, int., pág. 11). E estes espíritos foram engendrados exclusivamente por Kardec para criarem uma doutrina sua - própria?

 

Ora, estas revelações, esta doutrina, que também traduzem as Eternas Verdades, é tão velhas quanto a própria humanidade, porquanto podem ser identificadas nos antigos e sagrados livros das mais velhas religiões do mundo.

 

É só compararmos os 34 itens com que Kardec fundamentou os "pontos principais" da doutrina que os espíritos transmitiram, em sua introdução (obra citada, páginas 21-25) ...

 

Devemos reconhecer então que a essência desta doutrina e suas relações com o mundo da forma, comunicações, fenômenos inerentes à mediunidade, são FATOS que remontam aos primórdios das civilizações. Não são, portanto, REALIDADES somente conhecidas de 1857 aos nossos dias.

 

E a Umbanda que tem como vértice de sua razão de ser, desde as eras primitivas, ou mais particularmente, desde a segunda raça-raiz, os Lamuriamos, numa Era de Escorpião — o signo da Magia, a exteriorizarão periódica ou por ciclos, destes fatos, ressurgiu na atualidade, como o fizera no passado entre os Atlantes, os Maias, os Quíchuas, os Tupy-guarany e os Tupy-nambá da época pré-cabraliana e ainda bem como há milênios, quando do antigo apogeu da raça africana, que conservou dentro da tradição oral até nossos dias, farrapos desta Lei ou desta Doutrina revelação do próprio Verbo - primitiva síntese Relígio-científica, cujas derivações podem ser identificadas nos diferentes sistemas religiosos (pelo aspecto esotérico) de todas as raças.

 

Vamos ressaltar, agora, uma verdade positiva: Kardec codificou, isto é, propagou, apenas, PARTE dessas antigas Verdades – reveladas pelos espíritos de acordo com a época - expressões de uma Lei imutável, que vêm sendo confirmadas e ampliadas dentro das nossas Linhas de Umbanda, por grandes instrutores, espíritos altamente evoluídos, que consideramos como Orixás intermediários e Guias, que têm como missão precípua reconstituir as partes restantes ou seja, o Todo...

 

O que realça, claramente, do exposto? Que há uma certa identidade entre o Espiritismo e a Umbanda. Esta identidade se verifica quanto à doutrina, à manifestação e comunicação dos espíritos, pelo fator mediúnico, bem como pela parte científica, filosófica, moral etc.

 

Mas sobrepõe-se logo, numa comparação, o seguinte: a Lei de Umbanda NÃO É o Espiritismo APENAS. Êste, com todo seu conteúdo, é que faz parte da Umbanda, isto é, se integra ou se ABSORVE NELA.

 

Na Umbanda, ALÉM da parte filosófica, científica, doutrinária e dos fenômenos da mediunidade, pela manifestação, desta ou daquela forma, dos espíritos, formando estas coisas, os atributos principais e tacitamente reconhecidos como particularizando a Escola kardecista, tem a Umbanda ainda, bem definido, o aspecto propriamente dito de uma religião, pela Liturgia, Ritual, Simbologia, Mitologia, Mística, bem como pela Magia, Astrologia esotérica e outras correlações de Forças NÃO PRATICADAS no denominado espiritismo, e, portanto, INEXISTENTES.

 

MISTÉRIOS E PRÁTICAS DA LEI DE UMBANDA

2º EDIÇÃO LIVRARIA FREITAS BASTOS S.A.